Seja bem-vindo ao site dos Amigos da Marinha (Página não oficial)
Home Caça sueco Gripen faz primeiro voo no Brasil
Caça sueco Gripen faz primeiro voo no Brasil

O caça é o primeiro de um total de 36 unidades compradas pelo Brasil para a FAB. Ele chegou ao Brasil no domingo, 20, no porto de Navegantes, depois de uma viagem de três semanas a bordo do navio MV Elke, que saiu do porto de Norrköping, na Suécia. Depois, a aeronave foi rebocada até o aeroporto, por cerca de 2 quilômetros, e passou por manutenção antes de realizar seu primeiro voo sobre território brasileiro.

A aeronave não veio voando porque está em fase de testes e ainda precisava de inclusão de mais equipamentos, segundo a fabricante

O Gripen é um conceito de caça único, trazendo o perfeito equilíbrio entre performance operacional, soluções de alta tecnologia, custo benefício e parceria industrial em um sistema de caça inteligente. É por isso que é chamado de “O Caça Inteligente”

O Gripen NG é de fato um caça multiemprego, com alcance operacional, capacidade de carga e recurso de Guerra Centrada em Rede (NCW) atendendo a todos os empregos definidos. A capacidade NCW do Brasil será significativamente aprimorada, operando-se o Gripen NG em combinação com o sistema E-99 ERIEYE da Embraer.

A Transferência de Tecnologia

A transferência de tecnologia foi um dos principais motivos para o governo optar pelo Gripen e não pelo Boeing (dos EUA) ou pelo Rafale (da francesa Dassault) e tem o objetivo de capacitar a indústria aeroespacial brasileira com a tecnologia e o conhecimento necessário para desenvolver e manter o Gripen no Brasil.

Seis empresas brasileiras foram escolhidas para trabalhar na montagem da nova geração do Gripen e receber conhecimentos tecnológicos da montadora.

Os projetos incluem treinamento teórico, pesquisa, desenvolvimento de sistemas de aviões e treinamentos práticos na fábrica da Saab, na Suécia.

Desde o início do contrato, tem havido intercâmbio de funcionários brasileiros na Suécia. Até agora, cerca de 200 engenheiros, montadores e pilotos já estiveram em Linkoping, e os treinamentos variam de 3 meses a dois anos, dependendo da função.

O programa também prevê que os últimos 15 aviões serão produzidos e montados em solo brasileiro.

As atividades no Brasil incluem testes nos sistemas de controle de voo e de climatização e testes na aeronave em condições climáticas tropicais. Além dos ensaios que são comuns às aeronaves do Programa Gripen, serão testados no Brasil características únicas das aeronaves brasileiras, como integração de armamentos e o sistema de comunicação Link BR2 – que fornece dados criptografados e comunicação de voz entre as aeronaves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *